segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Ilha das Flores





"Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta,
que não há ninguém que explique
e ninguém que não entenda"

Cecília Meireles

Os Miseráveis - Sergio Vaz

Poética

 
"De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte

Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem
Nasço amanhã
Ando onde há espaço
Meu tempo é quando
"

(Poética, Vinícius de Moraes)

Pobre do Belchior

É incrível como a mídia se acha no direito de saber sobre tudo e todos e fazer da vida das pessoas uma forma de ganhar audiência.

Pobre do Belchior!

Ao meu ver ele simplesmente resolveu tocar um foda-se pra sua vida, construiu uma nova história com uma nova mulher, um novo amor, um novo romance, um novo lugar para viver, uma nova vida. Tudo estava muito bem, dois anos de sossego, sem se preocupar com as dívidas no Brasil, ex-mulher enchendo o saco, compromissos e tarefas para cumprir.

NÃO! BELCHIOR VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO! E NÓS DA REDE GLOBO VAMOS TE ACHAR, É FANTÁSTICO!!!

Cadê Belchior? Pra cá. Cadê Belchior? Pra lá. E eu pensando comigo mesmo O cara deve estar com alguma namorada por aí, na boa, na paz e a Globo vai foder tudo, dito e feito!!!

A Globo dizia querer saber por onde anda o grande artista Belchior, não seria muito melhor respeitar a grandeza desse artista e deixa-lo em paz? Se o cara sumiu, problema da família dele, acione a polícia se achar conveniente. Mas não! Nós somos a Rede Globo de Televisão e vamos encontrar Belchior.

Patético!

sábado, 29 de agosto de 2009

Vontades que o Blues me traz

Agora, 2 e 26 da madrugada, estou com uma vontade absurda de beber algo alcóolico e fumar. Tudo isso porque cometi a idiotice de ouvir Miles Davis.

Que mal há nisso? Vou explicar!

Por algum tempo da minha vida, a madrugada de sexta para sábado era destinada à ouvir blues e beber whisky, ai ficava lendo umas coisas, assistia uns filmes adultos, dava uma aliviada na tensão acumulada na semana, escrevia alguma besteira como a que estou escrevendo agora e ia dormir, bem chapado! Nada como dormir bêbado, o sono é tão gostoso! Hoje isso não acontece mais, porém daquela época restou uma vontade voraz de beber quando ouço Blues.

E como disse no início estava ouvindo Blues e a vontade bateu. Já vasculhei a estante, o barzinho, a geladeira, recorri ao meu irmão cachaceiro que vive com uma garrafa de pinga no quarto e até ele não pode me ajudar, nem uma pirassununga da vida para eu misturar com uma fanta sem gás que esta agonizando na geladeira à dias ele tem para me dar. Vasculhei meu armário atrás de algum cigarro perdido e nada!

E por incrivel que pareca o Jô Soares acaba de gritar na minha orelha:

E com vocês o BLUES de Fulano de Tal ...

Isso não está acontecendo comigo! Só pode ser castigo!!! Como diria Drummond:

Meu Deus, por que me abandonaste
se sabias que eu não era Deus,
se sabias que eu era fraco.

Acabo de decidir! Amanhã mesmo vou montar um kit de sobrevivência, um maçinho maroto de cigarros e uma garrafa sapeca de whisky, whisky vagabundo, claro! Não poderia deixa uma garrafa de Johnnie, Jack ou Ballantines trancada em um fundo de armário aguardando minha boa vontade.

Por agora vou ficar aqui lamentando a falta que faz um simples cigarro e um pouco de álcool, assistir SOM BRASIL com a boca seca e depois dormir! Até mais...

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A Cor Púrpura



Quem AINDA não assistiu, assista! Muito bom!

Oração ao Tempo

És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...

Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...

Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...

Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...

Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...

De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...

O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...

E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...

Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...

Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

Caetano Veloso

Pedro Cardoso, Teatro e Televisão

...O teatro por não suportar nenhuma reprodução dele mesmo, quer dizer, só há teatro quando eu vou lá fazer, não é possível reproduzir aquilo. O teatro sofre menos pressões da vida industrial, da tentativa de transformar a arte também num fazer industrial. 

A televisão suporta bem isso, quer dizer, você... Como dizer? Você conseguiu com a televisão fazer o modo industrial daquilo que era originalmente artesanal, quer dizer que o artista fazia uma coisa de um, ai agora, não! A televisão conseguiu reproduzir coisas muito semelhantes o tempo inteiro, com pequena diferença e isso é mais comercializável, a economia disso é mais rentável e o mundo contemporâneo é um mundo predominantemente  industrial, menos artesanal que em outros momentos...

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Bel


Hálito da terra depois da chuva:
cálida ternura
aflorando
na espessura
do lábio

Teu corpo
leveza que pesa
um saber sábio
secreto
da Natureza

Por isso os bichos te amam
em suas falas naturais:
os felinos
os caprinos
e os poetas – bichos marginais

Luís Veiga Leitão

Vossa Excelência

Vossa Excelência me explique uma coisa.

Então eu tenho que respeitar o seu momento de homenagem a Euclides da Cunha, mas Vossa Excelência não precisa respeitar minha cara de palhaço?


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Colgate Total 12


"Está clinicamente comprovado que Colgate Total 12 proporciona proteção completa. Previne contra 12 problemas bucais e protege por 12 horas."

12 horas? Mas pra quê? O dia tem 24 horas! Devemos escovar os dentes sempre após as refeições, ao menos foi assim que minha tia professora ensinou, fazemos no mínimo 3 refeições ao dia, se sormarmos a primeira escovação da manhã temos no mínimo 4 escovações por dia.

24 dividido por 4 igual dá 6, 6 é metade de 12, então não preciso de um creme dental que me proteja por 12 horas.

Essa manhã fui escovar os dentes e vi no tubo de creme dental o 12 enorme, e vim para a FUNDAP me questinando se é necessário 12 horas de proteção e pelo raciocínio acima concluo que não preciso de 12 horas de proteção. A não ser que essas doze horas sejam acumulaivas, por exemplo, escovo os dentes às 8 horas , tenho 12 horas de proteção, quando é 13 horas, escovo os dentes mais uma vez, sendo assim tenho mais 12 horas de proteção somadas as 7 horas que me sobraram da escovação das 8 horas, logo terei 19 horas de proteção e assim sucessivamente. Pela lógica se eu fizer isso mais uma vez no dia seguinte terei 26 horas de proteção acumuladas e sendo assim no dia seguinte estarei livre de escovar os dentes. Vou mandar um e-mail pra Colgate esclarecendo isso.

Porém ainda estou encucado, o que a Colgate quer com essas 12 horas de proteção? Será que além de fazer testes de seus produtos com animais eles desejam criar uma nova raça de pessoas que escovam os dentes apenas duas vezes ao dia? Isso parece coisa dos alienigenas que nos vigiam através das canetas BIC, mas não vou entrar nesse assunto.

Está comprovado! Não preciso de 12 horas de proteção.

Até mais! Acabo de voltar do almoço e vou escovar os dentes.

sábado, 22 de agosto de 2009

Notas de dólar

BBC BRASIL...

Cerca de 95% das cédulas de dólar que circulam na capital dos Estados Unidos, Washington, apresentam traços de cocaína, segundo estudo realizado pela Universidade de Massachusetts.

O número representa um aumento de 20% em relação a 2007, e supera o de outras grandes cidades americanas como Boston, Baltimore e Detroit, onde a média de notas contaminadas com a droga foi de 90%.

A pesquisa analisou cédulas em mais de 30 cidades em cinco países. No Brasil, a avaliação de dez notas concluiu que 80% delas tinham traços de cocaína.

Além dos Estados Unidos, o Brasil só foi superado pelo Canadá, com uma média de 85% de cédulas contaminadas.

A China e o Japão foram os que apresentaram o menor nível de cocaína no dinheiro em circulação.

Crise econômica e estresse

Segundo os cientistas, as cédulas ficam com restos de cocaína quando são usadas como "canudo" para inalar a droga ou mesmo quando notas limpas são guardadas com outras contaminadas.

O principal autor da pesquisa, Yuegang Zuo, disse que, de maneira geral, aumentou o número de cédulas com traços da droga.

"Não sabemos com certeza por que houve esse aparente aumento, mas ele pode estar relacionado à atual crise econômica mundial, que fez com que mais pessoas estressadas recorressem à cocaína", afirmou.

Nos Estados Unidos, as notas mais "limpas" vieram de Salt Lake City, no Estado do Utah, onde a maioria da população é formada por mórmons.

De acordo com Zuo, cada nota analisada continha entre 0,006 microgramas e 1,240 microgramas de cocaína (o equivalente a entre menos do que um grão de areia e 50 grãos de areia, respectivamente).

Segundo o cientista, a quantidade é tão pequena que as pessoas não devem enfrentar problemas legais ou de saúde se manusearem essas cédulas.

Referência do texto aqui BBC Brasil.



Audio por Cazé.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Ética?


Por mais que as coisas no Brasil sempre terminem dessa forma eu juro que por ser idiota demais acreditei por um longo tempo que o caso Sarney não ficaria por isso mesmo, porém como estamos na República das Bananas e aqui, assim como no mundo da fantasia tudo é possível, o Conselho de Ética resolvel arquivar as 11 acusações movidas pela oposição. Pelo amor de Deus, existe ética no Conselho de Ética?

Ligo minha televisão e vejo aquele lindo comercial da Petrobrás e o Governo se vangloriando de ter alcançado o Pré-sal, e confuso me pergunto, de que merda adianta alcançarmos a porra do o Pré-sal, se somos incapazes de alcançar o respeito mútuo, o bom senso e a ética.

O Brasil é um país corrupto de nascença, fomos colonizados por malandros, ladrões e putas. Isso explica toda essa capacidade que temos de se tornar podres do dia para noite. Alguém consegue imaginar Sarney quando criança? Será que nas brincadeiras ele já priorizava seus parentes, colocando seus irmão e primos sempre nas melhores situações?

Não sei o que mais dizer... Vou me limitar a terminar esse post, com uma frase que desde de 1.500 com toda certeza sempre funcionou muito bem no momento de expressarmos nossa insatisfação com algo.

Conselho de Ética, Senado e Cia...

VAI TOMAR NO CÚ ! ! !



quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Vida de mulher solteira

A moça mora sozinha a dois anos, mesmo adaptada a todas as dificuldades de morar só, por vezes sente falta da força masculina em seu apartamento. Isso sempre se resolve com a presença do síndico que lhe ajuda nas tarefas mais difíceis.

Um dia a moça resolve comprar uma máquina de lavar louça. Vai até a loja compra a máquina e leva para seu apartamento. Sobe e anciosa liga para o síndico, quer logo ver sua nova aquisição em funcionamento, porém o síndico não esta e só volta para o condomínio no dia seguinte anciosa resolve ela mesma executar a instalação.

Corajosa e decidida abre a caixa, lê o manual uma dúzia de vezes e vai em frente, após algumas tentativas fracassadas consegue colocar a máquina para funcionar, faz alguns testes e esta tudo perfeito.

Orgulhosa de si mesma, senta-se no sofá e fica pensando o quando é forte e independente, após tal feito a moça se sente a mulher mais poderosa do mundo, jamais precisará da ajuda do síndico novamente. Se sente livre, independente, se sente mulher!

Eis que olha para o canto da sala e vê uma anorme barata, todo o sentimento de independência, liberdade e força desaparecem como em um passe de mágina, o sorriso de satisfação que esta em sua fase some, encolhe-se no sofá e passa a desesperadamente lamentar a falta que um homem faz.

Cantiga para não morrer


Quando você se for embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

Ferreira Gullar in De Dentro da Noite Veloz (1962-1975)

Cebola

SÃO PAULO – A cebola não serve só para temperar e provocar lágrimas em quem as descasca. Ela também pode medir a poluição.

Pelo menos esta foi a conclusão de uma pesquisa feita pela Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, que utilizou os bulbos de cebolas para medir a qualidade das águas do rio Paraíba do Sul. O teste da cebola mostrou resultados ainda mais completos que os apresentados pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, a Cetesb.

A tecnologia é simples. Os testes consistem em mergulhas os bulbos – de onde crescem as raízes - nas amostras de água coletadas do rio entre 2005 e 2007. Depois de alguns dias, quando as raízes tiverem crescido, é preciso cortá-las para analisar suas células, cuja capacidade de divisão é contínua.

Nessa análise, é possível descobrir alterações que comprometam o funcionamento das células, como anomalias cromossômicas causadas pela poluição da água.

Enquanto os testes da Cetesb com bactérias e microcrustáceos deram negativo para altos índices de material tóxico e presença de compostos que poderiam causar mutação celular, os testes feitos pela Unicamp apresentaram resultado positivo para outras amostras de água colhidas na mesma época.


Fonte: Info Plantão - Link

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

$ Igreja Universal do Reino de Deus $



Se você quiser assitir amém, se você não quiser assitir a Web via vai mandar outra pessoa pra assistir amém! Entendeu como que é?

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O Boêmio

Ele gostava do cheiro que tinha a confusão, gostava do tumulto, se sentia a vontade em meio as correrias e ao cheiro de fumaça. Gostava de provocar as pessoas, não por mal, mas sim para vê-las em uma condição diferente, as vezes, alterados e nervosos, gostava de provocar, saber a opinião alheia, discutir era com ele mesmo, independente do que fosse. Era um provocador, muitas vezes discordava apenas para iniciar alguma sequência de argumentações. Quando encontrava as coisas em ordem, logo tratava de bagunça-las, precisava daquele gosto amargo que tinha a desordem. Porém só gostava das desordens provocadas por ele.

Gostava de jogar com as pessoas e notar como são frágeis e cegas as manipulações que sofrem. Muitas vezes o via como um mero curioso e estudioso do comportamento alheio, ele sentia vontade de saber como tal pessoa reagiria ao ser provocada dessa ou daquela forma, até que ponto tal pessoa poderia suportar uma discussão. Era nítido que ele adorava testar, porém não aceitava de maneira alguma ser testado, essa era uma de suas vaidades, talvez seu ponto fraco, o único momento que ele demonstrava estar perto de perder o controle da situação era quando se via na posição contrária a que mais lhe agradava.

Gostava das coisas proibidas, quando o assunto era mulheres procurava sempre as mais complicadas, as mais difíceis, as casadas, as comprometidas, as com histórias para contar. Gostava de aguçar, de seduzi-las. Como na maioria das coisas que fazia, era intenso, adorava os romances, porém não durava muito com nenhum deles, sempre buscava outra conquista.

Seus vícios eram comuns, alcóol, cigarro e jogos. Porém mal sucedidos, ficava bêbado com facilidade, cigarro lhe provocava tose e era péssimo jogador, mesmo assim não desistia, sabia que sem esses detalhes não poderia ser o boêmio que era.

Talvez a única coisa que ele realmente amava era o seu estilo de vida. Ele era seduzido pelas histórias que ouvia, fantasiava os romances das músicas e dos livros, achando pouco, fazia da sua vida um mesmo romance, toda aquela magia e graça que encontrava nas manifestação dos artistas, ele de alguma forma trazia para sua vida.

Costumava dizer que não casava, pois morreria cedo, provavelmente de tragédia ou por vício, mal sabia ele que os que possuem esses pensamentos são os que mais vivem. Talvez essa história fosse apenas desculpa para quem lhe indagava sobre sua vida desregrada.

E dessa forma foi até a velhice, quando encontrou uma morte tranquila, muito provável que não tenha reparado seu coração parar enquanto dormia.

Aquele homem morreu velho e só, sem esposa, sem filhos, sem amigos e dizendo que não se casaria, pois morreria cedo, provavelmente de tragédia ou por vício.



Post de número 500

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Pecados


Tenho vontade de derramar em teu corpo
todo os pecados que o meu corpo deseja
e inclinar em ti tudo que antes
não tinha coragem de desejar
desejo teu corpo e teu íntimo
como quem tem sede de muitos dias
estar em teu corpo é o pecado mais puro
que o corpo meu poderia praticar
as vezes te desejo com a mesma vontade
com que desejo as mulheres
outras vezes desejo apenas te protejer
da mesma forma que protejo as meninas
no breu que repousa meus desejos
em segredo existe um desejo por ti
repousando por lá
e todas as vezes que lembro de ti
meu corpo arde e vejo meu desejo se manifestar
em uma busca por seu corpo sem sentir o desejo
de todo esse desejo terminar

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Deserto


Hoje sou um corpo deserto
minh'alma, apenas areia e pó
que se espalham com o vento
aucansando lugares que antes
eu jamais imaginaria estar
Sou ausência dentro de mim mesma
e por vezes olho em volta
porém não vejo maneira
de me reencontrar
Em minha mente vazia
restou apenas uma fraca lembrança
de algo que fui um dia,
em dias melhores e mais felizes
quando eu ainda habitava em mim
Dias em que um coração ainda pulsava
e eu tinha sentimentos e sensações
que hoje não tenho mais esperança de voltar a sentir
época em que meu corpo ainda ardia
e o amor era desafio,
uma maneira de brincar
e conhecer outras pessoas
as quais adorava desafiar
provei experiências que sei
nunca mais provar,
pois hoje estou seca
e de mim nada de bom há de brotar


Wilian Jañez

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

O homem que pisava forte

Dois amigos conversavam amigávelmente em um bar, um era grande e forte e o outro menor e mais fraco. Conversa vai, conversa vem... Como esta a mulher? Como vão os filhos? E a saúde? Mas esta se cuidando? Garçom, mais uma! E assim a noite foi passando.

Quando já era madrugada e os amigos ainda estavam a conversar, entra no bar um homem, pisava duro e se dirigiu até o balcão do bar, pediu um maço de cigarros e uma dose se pinga. Bebeu a pinga em um cole apenas, fez uma cara de quem sente a garganta rasgar e ficou por ali fumando e se queixando sozinho das coisas da vida.

Dado um momento o amigo menor se levanta para ir ao banheiro e por acidente o homem que pisava forte teve a mesma idéia, levantou-se e nesse instante trombou com o amigo menor, prontamente o amigo menor se desculpou pela trombada, porém em troca recebe um empurrão, querendo evitar confusão o amigo menor tenta se desvencilhar da situação e segue andando quando leva um segundo empurrão, dessa vez pelas costas. Dessa forma não havia como se controlar. O amigo menor voltou para o homem que pisava forte e perguntou o que queria e o homem que pisava forte respondeu que iria quebrar a cara do amigo menor. O amigo maior que notou algo estranho foi ao encontro do amigo menor, e perguntou o que acontecia, o amigo menor contou que o homem que estava a falar com ele disse desejar quebrar sua cara.

Ao ouvir isso o amigo maior serrou os dentes e fechou os punhos, nesse instante o homem que pisava forte se viu em uma situação que não desejava, jamais poderia brigar com um homem daquele tamanho e logo já foi dizendo que o problema não dizia respeito ao amigo maior e o amigo maior retrucou dizendo que eram amigos e que não deixaria alguém bater em seu amigo, em seguida o amigo menor diz que aquela briga era sua e que estava tudo bem, porém o amigo maior estava irredutível.

Esse não era mesmo dia de sorte do homem que pisava forte, ao tentar conseguir uma briga com alguém conseguiu foi um problema, era claro que apanharia do amigo maior, por ele ser muito mais alto e forte que ele, porém de uma coisa ele não sabia, o amigo menor sabia lutar, sendo assim o homem que pisava forte apanharia de uma forma ou de outra porém colou-se em uma situação que por falta de um apanhará logo de dois.

O primeiro soco foi do amigo menor, o amigo maior logo se manifestou e o homem que pisava forte foi rápido em se encolher aceitar as pancadas e torcem para que os amigos se cansassem logo.

Quando satisfeitos, os amigos cessaram a surra, pagaram a conta e foram embora.

O homem que pisava forte se manteve no bar amargurando a surra que levou e se queixando da má sorte que havia dado naquela noite.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009