terça-feira, 22 de setembro de 2009

O jardim do vizinho

Hoje fui dormir as 4 horas da madrugada por que queria muito assistir ao filme Batismo de Sangue. O filme é muito bom! Conta a história de quatro freis que se envolvem na luta contra a ditadura. Filme nacinal, que mostra nossa história e o que nós vivemos culturalmente e politicamente.

Eu assisti esse filme no Intercine - Rede Globo, normal filmes antigos sempre são jogados no Intercine. Opa! Acabo de pesquisar e descobri que o filme é de 2007, pensando bem não me recordo de ter visto esse filme na televisão, hum... é verdade o filme era inédito, a globo jogou um filme nacinal, inédito e que conta sobre nossa cultura e política para ser exibido de madrugada, horário que poucas pessoas podem assistir. Eu até entendo o motivo do filme ser exibido esse horário. A Rede Globo poderia ter passado o filme na Tela Quente, mas não foi possível porque era extremamente necessário exibir Deja vu, um filme de 2006 que conta a incrível hsitória de um cara que trabalha para a Agência do Tabaco, Álcool e Armas de Fogo, ele é chamado para recuperar provas após a explosão de uma bomba em Nova Orleans, ele acaba descobrindo um meio de viajar no tempo, o que possibilita que ele evite a explosão. PUTA QUE PARIU!!!  E eu perdi esse filme assistindo CQC...

O jardim do vizinho sempre mais bonito... Olhem mais para o cinema nacinal, otimos filmes! Dica? Budapeste, adaptação do livro de Chico Buarque.

Paradoxo do Nosso Tempo - George Carlin


Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos
rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV
demais e raramente estamos com Deus.

Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.

Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
freqüentemente.

Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos
à nossa vida e não vida aos nossos anos.

Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
não o nosso próprio.

Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.

Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
menos; planejamos mais, mas realizamos menos.

Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.

Construímos mais computadores para armazenar mais
informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
comunicamos cada vez menos.

Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta;
do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e
relações vazias.

Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas
chiques e lares despedaçados.

Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
pílulas 'mágicas'.

Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
dispensa.

Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te
permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar
'delete'.

Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas
não estarão aqui para sempre.

Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo,
pois não lhe custa um centavo sequer.

Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)
e às pessoas que ama, mas, em primeiro lugar, se ame...
se ame muito.

Um beijo e um abraço curam a dor,
quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valorize sua familia e as pessoas que estão ao
seu lado, sempre.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sem você

Sem você
Sem amor
É tudo sofrimento
Pois você
É o amor
Que eu sempre procurei em vão
Você é o que resiste
Ao desespero
E à solidão
Nada existe
E o tempo é triste
Sem você
Meu amor
Meu amor
Nunca te ausentes de mim
Para que eu viva em paz
Para que eu não sofra mais
Tanta mágoa assim
No mundo sem você


Vinícius de Moraes



sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Inventando a vida

Hoje tenho 23 anos, sou jovem, tenho muita vida pela frente, ao menos assim espero. Mesmo jovem já me sinto capaz se afirmar com toda a certeza que o tempo passa rápido, parece que foi ontem que eu teinha 17 anos e vivia uma ansia enorme por atingir a maioridade para tirar minha carteira de habilitação. 6 anos se passaram, sei que muita coisa aconteceu, muita coisa aprendi, mas não consigo negar a impressão que sinto desses 6 anos terem passado muito rápido.

Vivemos repetidamente, cinco dias por semana eu acordo, vou pro trabalho, depois vou para o centro de lutas e depois para casa descansar para no outro dia acordar e fazer a mesma coisa. Talvez essa repetição nas coisas que faço me coloque em um transe que não me permite perceber o tempo passando, quando desperto e paro para notar o tempo já passou demais.

O tempo é como uma raposa, quando notamos ele já nos levou tudo que era juventude.

Eu tento me defender desse transe, com rápidas fugas da rotina. As vezes saio da empresa no meio da tarde e dou uma rápida volta no quarteirão, pronto! Esse simples ato, já é suficiente para marcar o dia de alguma forma. Nessa breve caminhada sempre vejo algo diferente do contexto, seja uma moça, seja uma freada brusca que mesmo eu estando na calçada me faz assustar, seja a pomba que vôa ao me ver aproximar, seja o que for, sempre haverá algo de diferente para nos marcar. Entre outras coisas que costumo fazer para dar uma escapada do transe.

A vida é inventada, no caso nossa vida é a nossa invenção, devemos criar e alterar nossa vida todos os dias, devemos experimentar novas cores, gostos, sons e etc, que caberiam bem em nossas vidas ou não.

As vezes paro e me pergunto, O que estou fazendo da minha vida? Será que é isso que quero? Será que é assim mesmo que serei feliz? Será??? Más nunca encontro uma resposta, a vida também é assim, ela é imprevísivel, nunca sabemos se nossa criação nos trará o que desejamos, porém mesmo assim vivemos, porém mesmo assim criamos. E dessa forma corre o tempo e se vive a vida.

Espero atingir a velhice, olhar para trás e sorrir, alegre e satisfeito da vida que eu inventei.

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Artista é tudo maluco


Click na imagem!

Gullar: Outro dia eu encontrei o Chico e ele disse Eu também já mijei na lata de lixo. Eu saio daqui distraído para ir no banheiro, mas ai eu me esqueço porque eu ia pegar um negócio na cozinha, ai vou pra cozinha, ai esta lá a lata de lixo, boto os ... pra fora e começo a mijar, ai eu digo Caraio eu estou mijando na lata de lixo(risos).

Entrevistador: O senhor teme essa coisa do envelhrecimento? Alzheimer.

Gullar: Não, eu não temo! Espero que não aconteça, eu não tenho indícios desse tipo de coisa!

Eu: Não tem indícios?

Como pode a pessoa sair de um cômodo da sua casa para ir ao banheiro urinar e após alguns segundos se encontrar urinando na lata de lixo da cozinha?

Chico e Gullar que me desculpem, mas não é normal! rs

Imagem do povo

Agência Estado
Brasil piora em ranking do Bird sobre negócios
Qua, 9 Set, 09h58


O Brasil caiu duas posições no relatório Doing Business (Fazendo Negócios) do Banco Mundial (Bird), que avalia a facilidade de se fazer negócios em um país. Em um ano em que o mundo aumentou em 20% o número de reformas para desburocratizar o ambiente de negócios, o Brasil caiu da 127ª para a 129ª posição no ranking com 183 países. Segundo o Bird, o Brasil fez apenas uma reforma positiva entre julho de 2008 e junho de 2009, no sistema de alvarás da Prefeitura de São Paulo para novos empreendimentos, que reduziu de 152 para 120 dias o tempo necessário para se abrir uma empresa na cidade.


Mas o País continuou na liderança dos que complicam a vida das empresas em vários quesitos: o Brasil é o país que exige o maior número de procedimentos para abrir uma empresa (16) - a média na América Latina são 10,8, e na Nova Zelândia, o país mais “fácil”, basta um. O Brasil ainda é um dos lugares onde há mais demora para se abrir um negócio (120 dias). Na Nova Zelândia, leva-se só um dia. Na América Latina, em média, são 45,5 dias. O Brasil também lidera em número de procedimentos necessários para se registrar uma propriedade (14) e números de horas gastas para pagar impostos (2600, ou 108 dias). Para conseguir um alvará de construção são necessários 411 dias no Brasil. Em Cingapura, são só 25 e na América Latina, em média, 211.


“O Brasil está na lanterninha da região. Na América do Sul, só perde para Bolívia e Venezuela”, diz Rita Ramalho, economista do Bird que trabalha no projeto. “O País fez apenas uma reforma que diminuiu o tempo de abertura de uma empresa de cinco para quatro meses, o que ainda é muito.” Ela faz a ressalva de que o Doing Business avalia apenas a maior cidade de cada país, no caso do Brasil, São Paulo. “Portanto, não são contabilizadas reformas que possam ter ocorrido em outras.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O que me mais me chamou a atenção nessa matéria é a quantidade de tempo gasto para se pagar impostos 2600 horas ou 108 dias, isso dá 3 meses e meio, três meses e meio do ano trabalhamos apenas para pagar impostos. O Brasil lidera esse ranking, somos o povo que mais tempo trabalha para pagar impostos. O lugar onde menos se trabalha para pagar impostos é os Emirados Árabes, 12 horas, de 12 para 2600 horas existe uma enorme distância, isso deve justificar o fato do Brasil ser tão mais desenvolvido que os Emirados (cara de cu)...

Saibam que essa pesquina é feita na maior capital de cada país, logo esses números correspondem a São Paulo. Porém não vamos fazer nada para mudar. Moro na cidade que mais se paga impostos no mundo e mesmo assim fico 1 hora e meia parado dentro de um veículo para percorrer um trageto de 20 km. Pago por educação, alimentação, transporte, saúde, lazer... Dr. Kassab terá que explicar onde enfiou a verba dedicada a limpeza da cidade, foi usado apenas 7 % da verba.

Não podemos reclamar, ao meu ver um país nada mais é do que o reflexo de seu povo. Devemos nos contentar com a nossa própria imagem.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Não sei o que dizer...

Imperfeitos

Somos seres que vivem sob constantes mudanças, sempre estamos passando por transformações. Não falo sobre transformações físicas, essas transformações são temporais, falo das transformações não palpáveis, falo sobre o que somos como pessoas, nosso pensamento, nosso caráter e nossas convicções.

Quando criança pensava de uma forma completamente diferente do pensamento que tenho hoje e sei que daqui uns anos ao olhar para trás esse pensanmento terá se alterado novamente. Quando criança as coisas eram mais simples e o mundo era grande demais, hoje as coisas são mais complicadas e o mundo já não é tão grande. O sono é maior, o cansaço é maior e a inocência quase nula.

Todos os dias encontramos novas esperanças que futuramente irão se tornar verdades ou decepções e isso irá interferir no que somos, nos tornará pessoas mais agrádaveis em um momento ou pessoas mais amargas em outros, criamos escudos contra as coisas que um dia nos fez mal e sempre recebemos bem as que nos agradou em algum momento.

Estamos sempre buscando a perfeição, porém a coisa mais perfeita que se faz nessa vida é ter em mente que a perfeição é algo inantingível, tentamos ser os melhores nas coisas que fazemos, alguns estrapolam e acabam usando de má fé, porém dessa forma não se vai longe.

Assim passamos toda nossa vida, buscando o comodismo e as glórias de quem chega próximo da intocável perfeição, gastamos tempo e energia com esse propósito e no fim da vida, após ter mudado nossos pensamentos enéssimas vezes terminamos como todos os outros, pois não importa o que façamos ou como façamos sempre morremos imperfeitos.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Eu posso ser mal!

Esse final de semana eu vivi mais uma situação que deixa claro como o preconceito racial é presente no meio em que vivemos, porém o mantemos enrustido.

A primeira situação foi quando quebrei o vidro da porta do passageiro do meu carro por ter trancado a chave dentro do mesmo. Saí da Vergueiro e fui até o Taboão da Serra em uma noite que as ruas estavam com o policiamento reforçado por ser o dia que aconteceu o primeiro jogo da final da Copa do Brasil(CORxSPT) sem ser parado em momento algum. Claro que se eu não fosse branquinho, usando óculos e com essa cara de bobo seria parado umas 10 vezes. Más tudo bem!

Essa final de semana, na madrugada de domingo, passava próximo ao parque Vila-Lobos, dentro do carro apenas minha namorada e eu, quando damos de cara com uma batida polícial. O rapaz moreno do carro da frente foi parado, iluminaram dentro do carro dele, falaram coisas que do meu carro não fui capaz de ouvir, ao chegar a minha vez eu reduzi bastante a velocidade do carro, quase parando para que o polícial me averiguase e o que aconteceu? O cidadão nem olhou na minha cara!!!

Fiquei muito ofendido! Qual o problema? Sou branco? Uso óculo? Saibam que eu posso me tornar uma pessoa muito perigosa. Eu poderia estar armado, carregar drogas ou quem sabe uma ogiva nuclear no porta malas do meu carro.

Acho que vou aproveitar esse dom de não levantar suspeitas e partir para os assaltos, é fato que NUNCA sou barrado na porta rolante dos bancos, semana passada entrei com moedas, chaves, cacete e nada! Poxa, sou malandro também! Um dia vocês vão saber o quanto eu posso ser mal! (rs)

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Poesia na prática

Alguns acontecimentos e pensamentos me inspiraram para a escrita desde post.

Começamos com o pensamento de Sérgio Vaz que dizia:

É difícil ser poeta?
Não! Difícil é ser poesia...

Até ai tudo bem, gostei do pensamento, achei bonito, entre outros sentimentos que esse pensamento despertou em mim. Horas mais tarde, comecei a ler um pouco de Ferreira Gullar, depois passei a assistir algumas de suas entrevistas que estão publicadas no youtube e por acaso descobri um vídeo onde ele justifica a razão por ter escrito Cantiga para não morrer. Particularmente sempre tive a curiosidade de saber qual foi a inspiração para aquela pessoa ter escrtio isso ou aquilo, porém sabemos que normalmente os motivos que nos impulsionam a escrever algo são mantidos em segredo.

Segundo Gullar, ele estava em Moscou e lá havia uma russa muito bonita chamada Helena, que por sinal era sua namorada, um dado momento ele teve que voltar para o Brasil e nesse momento Helena disse que iria embora de Moscou, pois sozinha não ficaria lá.

A situação justifica perfeitamente a beleza do poema e para os que não são capazes de compreender a frase de Sérgio Vaz citada no início do post, ai esta um exemplo prático, ao viver essa situação Gullar se viu tomado de sentimentos e sensações que o levou a escrever algo tão bonito para uma pessoa que com toda certeza ele amava, a razão para um poeta deixar um amor para trás não são de meu conhecimento, porém com toda certeza ao escrever Cantiga para não morrer Gullar por um instante deixou de ser poeta e passou a ser poesia.



Poesia

É difícil ser poeta?
Não! Difícil é ser poesia...
Sérgio Vaz

1 Ano

1 ano 

Hoje completamos 1 ano de blog.

É óbvio que para a comemoração desse um ano espera-se um super hiper mega blaster post. Vamos ver o que posso fazer (rs). Afinal de contas não escrevemos bem quando queremos e sim quando sentimos.

No dia 4 de Setembro de 2008, me recordo que era uma quinta-feira, eu dei início a este blog com um post chamado O fim da Ditaduta que não acabou, acabo de reler o post e concluo que em um ano nada mudou. Nesse um ano as câmeras digitais aumentaram sua resolução, os pendrivres diminuíram de tamanho e aumentaram sua capacidade de armazenamento, ou seja, as máquinas estão evoluindo incalculavelmente muito mais rápido que a consciência humana.

Nesse um ano postei muitas coisas que escrevi e também mostrei a vocês a arte de outras pessoas que me agradam. Por um tempo me dediquei a escrever e noticiar sobre questões ambientais, porém após notar que pouquíssimas pessoas estão interessadas no meio ambiente e que as ações que vemos por aí é apenas uma maneira de dizer que algo esta sendo feito, perdi o tesão e abandonei esse tipo de assunto.

Houve uma época em que deixei de postar coisas que não eram de minha autoria, mas essa atitude durou pouco tempo, concluí que não poderia ignorar a arte, deixando de publicar letras, poesias, quadros e etc.E assim voltei a este tipo de post.

Por aqui eu mostro muito de mim, me exponho a pessoas que muitas vezes nem sei quem são, porém não me importo. Adoro aquela frase do Cazuza (Só quem se mostra se encontra, mesmo que se perca pelo caminho).

Acredito que esse um ano foi de sucesso, contei com pessoas especiais em minha vida que sempre me motivaram a seguir com o blog (Pri, Dani, Má e etc), logicamente não é motivador escrever e sentirmos que não existem leitores, eu gosto de atenção! (rs)

Vamos ver o que nos aguarda, conto com vocês para mais um ano de postagens!

Abraço a todos e obrigado por compartilhares dos meus pensamentos.

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

São Paulo de Deus

As vezes acho que São Paulo é uma piada e de muito mal gosto por sinal. Para começar é um dos poucos lugares no mundo onde conseguimos viver três ou as vezes as quatro estações em um mesmo dia, mas isso nem me assombra mais, como sou paulistano da garoa, já me acostumei com essas coisas.

Porém sempre há uma maneira de sermos surpreendidos. Por exemplo:

Vamos supor! (Reforçando... É apenas uma suposição, isso jamais aconteceria)

Estamos na décima oitava hora de uma quinta-feira, segunda-feira é feriado, logo teremos um final de semana prolongado, três dias de folga. Deixemos a imaginação voar, imagine que até o atual momento, passamos por um calor veranesco, sol, tempo seco e tudo mais... E justo quando estamos nos aproximando do nosso tão esperado final de semana prolongado de sol chega à São Paulo uma frente fria, com chuva e tudo mais. Seria uma merda, né? Que pergunta idiota, é claro que seria.

Mas isso é apenas uma suposição, lógico que minha amada cidade não é complexa e peculiar a essse ponto.

Que venha o final de semana prolongado com muito sol... Tomara!