segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Dai-me

Dai-me o sangue, meu amor
Dai-me o vinho
Devolva os anos
Que o tempo me roubou

Dai-me o corpo
Dai-me o espírito
Devolva os dias
Que o tempo me tirou

Dai-me o pão
Dai-me a carne
Devolva a paz
Que o tempo me levou

Dai-me a vida
Dai-me a ti
Devolva o amor
Que tu me privou

Wilian Jañez
07/04/2007

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Um dia sei

Hoje, não sei porque,
me encontro assim calado
longe de tudo que sonhei,
um dia...

Agora sei
que sinto falta de tudo que pensei,
talvez por pensar demais
calei, por dias.

Mas na verdade a alegria
parece reviver,
longe de tudo que sonhei,
um dia...

Agora sei
que quis nunca errar,
talvez por querer demais
errei, por dias.

Reconheço que o amor
parece fenecer,
longe de tudo que sonhei,
um dia...

Agora sei
que quis muito amar
talvez por querer demais
me neguei, por dias.

Wilian Jañez
31/03/2007

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Morte

O pior da morte,
não é a dor de quem fica,
não é a saudade de quem lembra,
nem a tristeza de quem não para de chorar.

O pior da morte,
é o desapontamento,
que sente aquele que não pode continuar.

Wilian Jañez

Eu quero saber

Eu quero saber o que vamos fazer
sobre a miséria sentimental,
pois queremos chorar
pois queremos sofrer
seja bom ou seja mau

Eu quero saber o que vamos fazer
sobre a carência emocional,
pois queremos amar
pois queremos viver
ame bem ou viva mal

Wilian Jañez
27/01/2009

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Poema enjoadinho

Filhos...Filhos?
Melhor não tê-los!
Mas se não os temos
Como sabê-lo?
Se não os temos
Que de consulta
Quanto silêncio
Como o queremos!
Banho de mar
Diz que é um porrete...
Cônjuge voa
Transpõe o espaço
Engole água
Fica salgada
Se iodifica
Depois, que boa
Que morenaço
Que a esposa fica!
Resultado: filho.
E então começa
A aporrinhação:
Cocô está branco
Cocô está preto
Bebe amoníaco
Comeu botão.
Filho? Filhos
Melhor não tê-los
Noites de insônia
Cãs prematuras
Prantos convulsos
Meu Deus, salvai-o!
Filhos são o demo
Melhor não tê-los...
Mas se não os temos
Como sabê-los?
Como saber
Que macieza
Nos seus cabelos
Que cheiro morno
Na sua carne
Que gosto doce
Na sua boca!
Chupam gilete
Bebem xampu
Ateiam fogo
No quarteirão
Porém, que coisa
Que coisa louca
Que coisa linda
Que os filhos são!

Vinícius de Morais

Chefe de família

Ela não é mais tão bonita
as crianças o aborrecem
o emprego o aborrece
mas é necessário
pagar as contas
quitar a casa
fazer novas dividas
ele não bebe mais
não dirige rápido
evita os impulsos
a paixão não existe mais
o desejo não existe mais
o amor é duvidoso,
porém é necessário fingir
sendo assim,
graças ao Deus
ele tem uma esposa amável
belos filhos
um ótimo emprego
é um homem centrado
e tem um cão.

Wilian jañez

Vivendo

Conforme passam os anos
e nossos rostos vão envelhecendo,
nossas convicções se desfazendo
e tudo que achamos tão certo perde a razão
Os amores que eram pra sempre
não existem mais
e aquele que você jurava não sentir
de tempos em tempos retorna
crescendo cada vez mais
Descobrimos que o desejo
era apenas vaidade
Que no meio de tantas pessoas
sempre estávamos sozinhos
E que quantidade e qualidade
nem sempre são parceiras nessa vida
Aprendemos a ser mais humildes
passamos a desejar coisas mais simples
ganhamos a capacidade de saber
a hora certa de chorar
e o momento exato de ceder
aprendemos a amar
aprendemos a viver.

Wilian Jañez
24/07/2008

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Desafio do 7


Will Bill do Versos de Fogo me mandou esse desafio.

Vamos lá!

7 coisas que tenho de fazer antes de morrer:
1. Ser pai
2. Amar menos, para jamais esquecer que é necessário amar sempre mais
3. Plantar mais árvores
4. Publicar um livro
5. Ir ao Gastro
6. Pular de para-quedas
7. Fazer um seguro de vida com valor bem alto

7 coisas que mais digo:
1. Se tá de brincadeira! Né?
2. Se quer me foder! Né?
3. Sou teu pai??? (Quando me pedem dinheiro)
4. Fodeu!
5. Oh time do caraio!!! (Corinthians)
6. Te amo!
7. Vai morrer em casa FDP! (Dirigindo)

7 coisas que faço bem:
1. Amor
2. Sexo
3. Beijar
4. Dirigir
5. Brincar
6. Escrever
7. Zoar os outros

7 defeitos:
1. Exagero
2. Impaciência
3. Vou do estado CALMO para o estado CAI DENTRO0 FDP!!! muito rápido
4. Falar demais
5. Correr demais (Dirigindo)
6. Xingar demais... (Porem foda-se)
7. Segundo minha mulher, peidar demais...

7 qualidades:
1. Prestativo
2. Inteligente
3. Charmoso ;)
4. Sensual : D
5. Protetor
6. Selvagem
7. Destemido

7 coisas que adoro:
1. Minha loucura
2. Corinthians
3. Minhas crianças
4. Minha mulher
5. A vida
6. Os amigos
7. E todas as demais coisas

7 coisas que detesto:
1. Mentira
2. Falsidade
3. Covardia
4. Falta de humildade
5. Preguiça de pensar
6. Quem acha que sou maluco apenas por pensar demais (Pensa é bom, porra!!!!)
7. Mulheres que não transar no primeiro encontro (Com meus amigos)

sábado, 22 de janeiro de 2011

22 de Janeiro e 25 anos de idade

  Hoje completo 25 anos de idade, 1/4 da idade que desejo atingir com saúde, quero morrer no mínimo com 100 anos. Impossível não fazer uma retrospectiva dos dias passados.

  Lembro que antes passava todo o mês de janeiro contando os dias para a chegada do meu aniversário e hoje é quase um dia qualquer, houve também um dia em que eu fazia festa por receber um copo com água e hoje um copo com agua é apenas um copo com água.

  Antes eu tinha mais coragem, menos preocupações, os problemas eram mais simples, a vida era mais simples. Será que vale a pena crescer? Bom... Sejamos positivos e vamos pensar que sim, pois além dos detalhes negativos também existem os positivos, os amores são mais maduros, as decisões mais corretas e a liberdade de ir e vir também é maior, tenho dinheiro pra comprar quase tudo que quero e foi muito válido trocar os carros de brinquedo por um de verdade e o refrigerante por Cerveja, esse foi um passo importante para que eu atinja os 100 anos de idade com saúde, pois refrigerante mata e cerveja só faz mijar, bem mais saudável!

  Hoje com 25 anos de idade desejo apenas completar 26, depois 27, depois 28 e assim sucessivamente até minha grande meta meu centenário. Desejo também passar esses anos seguintes ajuda-la a contar os seus aniversário, depois contar os aniversário dos filhos... netos... bisnetos e assim sucessivamente! rs

FELIZ ANIVERSÁRIO PRA MIM E PARA DUAS PESSOAS MUITO ESPECIAIS QUE SOMAM ANOS DE IDADE COMIGO.

Márcinha e Talita (nasceu umas horas depois de mim), um enorme beijo as duas e parabéns pra nós.

Essa é minha foto de 25 anos!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Um dia, Amor

Olá amor, olha quantos desatinos
essa loucura nos fez cometer
veja quantos gigantes evitei acordar
para estar aqui com você, um dia...

hoje já não preciso de mapa
para viajar em ti
caminho em seu corpo
como se fosse meu, um dia...

olá amor, olha quantas flores
esse caminho me fez pisar
veja quantos atalhos tive que criar
para estar aqui, um dia...

hoje já não preciso de tato
para tocar em ti
toco em sua alma
como se fosse minha, um dia...

Olá amor, olha quantos sonhos
esse repouso nos fez viver
te peço, que comigo não sonhe mais
pois sei que vou partir sem você, um dia...

Wilian Janez
01/04/2007

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Ritmos - LuH


Leia aqui.

Lua e Sol

Amigo Sol, quando vou te encontrar?
Toda vez que eu venho, você vai
Sempre que eu chego, você sai
Quando você queima por aqui
eu embalo casais lá no Japão
E quando aqui anoitece
e me vejo em serenata
você ilumina do outro lado,
vencendo a escuridão

Amigo Sol, quando vou te encontrar?
Sempre que eu chego aqui,
você já partiu pra lá
Me diz porque não pode esperar!

Amiga Lua, não fique assim por favor
Se acalme, e assim também irei me acalmar
Saiba que nunca poderemos nos encontrar,
pois sua luz e meu brilho são tão intensos
que o mesmo céu, jamais poderemos habitar.

Wilian Jañez
11/06/2008

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Como não te amar

Como não te amar, mulher minha
se quando tu sorri o mundo cala,
meu grito abafa, minha voz não vem
se quando te vejo o mundo para,
minha vida acalma, raiva não tem

Como não te amar, mulher minha
se quando tu vai o mundo para,
minha paz abala, meu ar não vem
se quando tu volta o mundo cala,
meu riso salta, dor não tem

Como não te amar, vida minha
se quando tu me ama eu te amo também.

Wilian Jañez
16/05/2008

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Quando o Sol

Quando surge o sol
vencendo o breu
fico a tua espera
quero te ver chegar.

Quando arde o sol
desafiando o frio
sigo a tua espera
quero te ver ficar.

Quando parte o sol
nascendo a escuridão
durmo a tua espera
quero te ver me amar.

Wilian Jañez
05/07/2007

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Quando penso em você

Quando penso em você
sinto que ser feliz ainda é possível
sinto que o amanhã será mais bonito
e sem você não posso mais

Quando penso em você
lembro do seu sorriso
sei que é de você que eu preciso
pois sem você não quero mais

Quando penso em você
lembro dos seus olhos dentro dos meus
sei que é de você que eu necessito
pois sem você não sonho mais

Quando penso em você
lembro da sua face frente a minha
sei que é do seu calor que eu preciso
pois sem você não vivo mais

Quando penso em você
sinto que ainda estou vivo
sinto que meu peito ainda pode amar
e sem você não amo mais.

Wilian Jañez
14/05/2008

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Quando te encontrar

Quando te encontrar,
quero te ver nua de tudo que é passado.
Quero que esteja disposta
a provar do que o novo tem a lhe dar.

Quando te olhar,
quero te ver revestida de tudo que é belo.
Quero que esteja disposta
a provar da alegria que eu posso lhe dar.

Quando te beijar,
quero te sentir livre de tudo que é dor.
Quero que esteja disposta
a provar do amor que eu preciso lhe dar.

Wilian Jañez
03/07/2007

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Nossas vidas

Posto-me em teu corpo
sem pensar em partida
firmo meus pés na tua terra
faço tua a minha vida

Cravo-me em tua terra
sem pensar em saída
firmo meu desejo no teu corpo
faço minha a tua vida

Entrego-me ao teu amor
sem pensar em outra vida
abrigo meu coração no teu peito
declaro nossas as nossas vidas

Wilian Jañez
02/05/2007

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Haiti



Quando você for convidado pra subir no adro
Da fundação casa de Jorge Amado
Pra ver do alto a fila de soldados, quase todos pretos
Dando porrada na nuca de malandros pretos
De ladrões mulatos e outros quase brancos
Tratados como pretos
Só pra mostrar aos outros quase pretos
(E são quase todos pretos)
E aos quase brancos pobres como pretos
Como é que pretos, pobres e mulatos
E quase brancos quase pretos de tão pobres são tratados
E não importa se os olhos do mundo inteiro
Possam estar por um momento voltados para o largo
Onde os escravos eram castigados
E hoje um batuque um batuque
Com a pureza de meninos uniformizados de escola secundária
Em dia de parada
E a grandeza épica de um povo em formação
Nos atrai, nos deslumbra e estimula
Não importa nada:
Nem o traço do sobrado
Nem a lente do fantástico,
Nem o disco de Paul Simon
Ninguém, ninguém é cidadão
Se você for a festa do pelô, e se você não for
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui
E na TV se você vir um deputado em pânico mal dissimulado
Diante de qualquer, mas qualquer mesmo, qualquer, qualquer
Plano de educação que pareça fácil
Que pareça fácil e rápido
E vá representar uma ameaça de democratização
Do ensino do primeiro grau
E se esse mesmo deputado defender a adoção da pena capital
E o venerável cardeal disser que vê tanto espírito no feto
E nenhum no marginal
E se, ao furar o sinal, o velho sinal vermelho habitual
Notar um homem mijando na esquina da rua sobre um saco
Brilhante de lixo do Leblon
E quando ouvir o silêncio sorridente de São Paulo
Diante da chacina
111 presos indefesos, mas presos são quase todos pretos
Ou quase pretos, ou quase brancos quase pretos de tão pobres
E pobres são como podres e todos sabem como se tratam os pretos
E quando você for dar uma volta no Caribe
E quando for trepar sem camisinha
E apresentar sua participação inteligente no bloqueio a Cuba
Pense no Haiti, reze pelo Haiti
O Haiti é aqui
O Haiti não é aqui

Caetano Veloso e Gilberto Gil


Essa letra é absurda de boa! Mesmo assim preferia que ela não precisasse ser escrita.

Erva Menina

Toda vez que planto
um pensamento germina ela
Como fosse erva daninha,
sem razão ocupa
o espaço dos meus pensamentos
e não há mãos duras e firmes
que dêem conta de arrancar erva danada
Toda vez que pelas mãos erva finda
armo um pensamento
e nova erva teimosa germina
não sei como afastar do meu pensar
tal erva menina.

Wilian Jañez

Sorriso de Andreza Tagliaferro

Teu sorriso é belo e tão forte
que quando meus olhos
encontraram teu sorriso
meu corpo todo se arrepiou
como que tomado por
uma brisa de inverno
em pleno forte sol e calor

Teu sorriso é tão grande
que quando aberto
até o sol de verão se faz menor
vi tanta vida em teu sorriso
que como eu não iria me encantar?
teu sorriso carrega tudo que é paz
teu sorriso é tão bom
que quero esquece-lo jamais.

Wilian Jañez
09/06/2008

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Poeta amante

Na noite em que a nossa lua deixou de brilhar
o poeta correu até o monte
e pôs-se a chorar.
- De que vale um poeta que não sabe amar?

O poeta despiu-se por inteiro
e ajoelhado pôs-se a chorar
socando o peito gritava:
- Faz desse poeta cinza e da cinza de poeta faça algo que saiba amar!

O poeta livrou-se de toda fantasia
e olhando para o alto
pediu como nunca antes.
- Livre-me de ser poeta e me faça de uma vez amante!

Wilian Jañez
20/06/2007

Entrevista com Sérgio Vaz

Poeta e agitador cultural da periferia de São Paulo, Sérgio Vaz.

Pé de Coelho

Se pé de coelho desse sorte
o coelho tendo quatro pés
não perderia um a um
em prol da sorte dos outros

Wilian Jãnez

Palavras de Jean Cocteau


Quando lhe perguntaram: Se sua casa pegasse fogo, o que o senhor salvaria?

– Eu salvaria o fogo! Se o mundo pegasse fogo, o que eu salvaria? Eu salvaria essa centelha, esse único amor, o único Deus que não seria um ídolo; nós o possuímos apenas quando o damos... A única coisa que jamais nos será tirada é aquilo que doamos. Se minha vida pegasse fogo, o que eu salvaria? Assim na Terra como no Céu, nada salvamos... apenas aquilo que doamos.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Se

E se resolvo fechar os olhos
se resolvo nunca mais abrir meus olhos
se resolvo nunca mais sentir dor
O que você faria, meu amor?

Iria chorar por dias
Me esquecer por anos

E se resolvo ir embora
se resolvo nunca mais voltar
se resolvo nunca mais sentir amor
O que você faria?

Iria me procurar por dias
Me esquecer por anos

E se eu resolvo descansar
se eu resolvo nunca mais levantar
se eu resolvo nunca mais te amar
O que você faria?

Wilian Jañez
26/04/2007

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Gosto de te amar

Gosto de te ver chegar.
Com você cada momento é eterno,
cada instante é pra sempre
e eu nem sei como explicar.

Gosto de te ver ficar.
Com você cada beijo é imenso,
cada abraço é infinito
e eu nem sei como explicar.

Gosto de te olhar.
Com você o amor é mais que bastante
e eu nem sei qual a melhor forma de te amar.

Wilian Jañez
11/06/2007

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Renascimento

Tu, que moras no céu
que és o todo poderoso
criador de tudo e de todos
se tens piedade de mim
parta-me ao meio
e me arranque do peito
toda essa dor
me lave com todo ódio
me livre de todo amor.

Wilian Jañez
23/04/2007

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

A Pedra


Ao passar pela rodovia
lá em cima na serra
eu vi uma pedra
ela está ali
a milhões de anos
olhando para o mesmo lugar
e mesmo sem sair de lá
aquela pedra
viu mais coisas
que minhas pernas terão
tempo de me mostrar.

Wilian Jañez

O caso dos dez negrinhos


Dez negrinhos numa cela
e um deles já não se move.
Fugiram de manhã cedo,
mas eram nove.

Nove negrinhos fugindo
e um deles, o mais afoito,
dançou: cruzou com uma bala...
Correram oito.

Oito negrinhos trabalham
de revólver e canivete;
roupa cáqui vem chegando,
fugiram sete.

Sete negrinhos passando
pela rua de vocês;
alguém chamou a polícia,
correram seis.

Seis negrinhos dão o balanço:
bolsa, anel, relógio, brinco...
Houve um erro na partilha,
sobraram cinco.

Cinco negrinhos de olho
na saída do teatro.
Um vacilou, deu bobeira...
Correram quatro.

Quatro negrinhos trombando,
todos quatro de uma vez.
Um deles a gente agarra,
mas fogem três.

Três negrinhos que batalham
feijão, farinha e arroz.
Um se deu mal: a comida
dava pra dois.

Dois negrinhos se embebedam
de brahma, cachaça e rum.
Discussão, briga, navalha...
e fica um.

E um negrinho vem surgindo
do meio da multidão:
por trás desse derradeiro
vem um milhão.

Braulio Tavares

sábado, 1 de janeiro de 2011

Pensamentos...

"Para mim a excelência jamais foi uma virtude, prefiro a loucura e a liberdade"

"A vida acontece dentro de nós mesmos, o tempo é apenas um detalhe"

Wilian Jañez