quarta-feira, 4 de abril de 2012

O capital como único foco

  Antigamente antes do capital ganhar a importância que tem hoje era comum a pessoa ter mais de uma ocupação e durante sua vida ter feito diversas tarefas profissionalmente, é comum encontrarmos artistas antigos que foram escritores, escultores, pintores, filósofos e etc. Isso se dava pelo fato do foco ser a necessidade de ter uma ocupação e por não ser o dinheiro algo tão necessário e imprescindível como é hoje essas pessoas tinham a liberdade de junto a uma ocupação buscar algo que ao mesmo tempo lhe cause prazer, sendo assim, o individuo  trabalhava em um livro, após se dedicava a uma pintura, em seguida uma outra tarefa, fazendo sempre o que desejava para o momento.

  No mundo moderno, mas do que nunca, a sociedade exige que tenhamos alguma ocupação, pois caso contrário você é um acomodado, um vagabundo, porem o foco esta totalmente em ter dinheiro, se hoje nos exigem que tenhamos uma ocupação é para que com isso ganhemos dinheiro. Tendo o dinheiro como o foco e algo de extrema necessidade, as pessoas passam a fazer a mesma coisa por toda uma vida, tendo ou não prazer no que fazem. Deixar uma profissão que lhe proporciona uma quantia satisfatória de capital para se arriscar a fazer uma outra coisa que lhe daria prazer, porem pode não lhe dar o mesmo ganho financeiro é algo extremamente arriscado, sendo assim, para manter a segurança e a estabilidade financeira, nos mantemos da forma que estamos abrindo mão da satisfação pessoal, porem garantindo um bom futuro e dessa forma seguimos sempre desejando mais capital para consumir coisas que nos tragam satisfação e felicidade sem notar que nessa busca estamos correndo para o lado errado.

Wilian Jañez