sexta-feira, 30 de agosto de 2013

O tempo que o tempo não tem

Desejo um tempo que não viverei mais
um tempo de menos saudade
onde poderia fazer melhor ou pior, não importa
mas seria um tempo de novo presente
Um tempo onde as coisas de real valor
seriam vividas novamente
Desejo aquele tempo que hoje
só existe no campo das lembranças
Um tempo onde o amor era apenas infinito
e jamais confundido com saudade
E por desejar esse tempo aprendi que o tempo
é o bem mais precioso
não existe ouro que reviva um tempo
e tudo que pode ser orçado não possui de fato valor
É pena entendermos o real valor que o tempo tem
quando não há mais tempo para vivê-lo
Desejo um tempo de brincadeiras, cheiros e toques
onde as coisas eram simples e não haviam preocupações
onde a vida se resumia a esperar alguém chegar
sabendo que mais tarde passo a passo a mão
se encontraria perdida dentro da mão do outro
e nado no mundo teria maior importância
Um tempo onde estão todas as coisas
que hoje causam saudade
as coisa mais simples que antes
não pareciam ter tamanho valor
Onde havia herói e não era preciso salvar
pois ser salvo era o bastante
Desejo o mais breve momento desse tempo
mesmo que fosse curto como o piscar dos olhos
e o pior segundo desse tempo passado
passa a ser é o segundo mais querido.

Raio-X do Brasil

O Brasil a primeira vista pode parecer um país incoerente, sem nexo, sem sentido, sem lógica, porém não é o caso. Ao final direi o que de fato é o Brasil.

Como pode uma pessoa que foi julgada e condenada por peculato e formação de quadrilha ser mantida em um cargo público? Para simplificar a situação, foi provado que Donadon é ladrão, por isso esta condenado e vive na cadeia, mesmo assim ele é mantido em seu cargo, como esta preso entra em seu lugar um suplente, pois estando preso não há como o bandido honrar suas tarefas como deputado. Confuso...

Na contramão disso temos o caso do juiz Fernando Cordioli Garcia que a Corregedoria do TJ afastou da comarca de Otacílio Costa - SC sob acusação de participação político-partidária e instabilidade.

O Juiz Cordioli enfrenta um processo disciplinar no TJ que pode resultar em sua aposentadoria compulsória. Cordioli foi afastado provisoriamente do cargo em dezembro, pelo voto de 49 dos 62 desembargadores.

Entre os queixosos aparece nos autos o ex-prefeito de Otacílio Costa Denilson Padilha (PMDB). Ele acusou o juiz de ajudar a oposição nas eleições de outubro. Padilha perdeu a reeleição.

O juiz Cordioli disse uma vez que um promotor engavetava acusações contra a elite e os coronéis da política da cidade e só processava pretos, pobres e prostitutas.

É conhecido pela imprensa regional como "o juiz coragem" porque nos autos dos processos registrava os desvios éticos e profissionais de colegas juízes, promotores, servidores e advogados.

Estava prestes a ser promovido, quando foi afastado do cargo.

Cordioli denunciou que nos processos em que atuava os ricos e poderosos raramente eram incomodados, quase sempre ficavam engavetados na Promotoria.

Em 2012, Cordioli leiloou dois carros do prefeito de Palmeira em praça pública. O dinheiro era para pagar condenação por desvio de dinheiro público. Um terceiro carro, no qual o prefeito tentava viajar para Florianópolis, foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal depois que o juiz mandou uma ordem por fax para o posto de patrulha. O prefeito ficou a pé no acostamento.

Em outro caso Cordioli depois que o MP se recusou a pagar peritos num processo contra outro ex-prefeito, o juiz pediu auxílio do 10º Batalhão de Engenharia do Exército para avaliar a casa do réu. Um destacamento cercou a casa, fotografou tudo e a avaliou em R$ 500 mil. Em seguida, quando estava prestes a transformar a residência num abrigo municipal para órfãos, Cordioli foi afastado.

Em um processo ambiental, ordenou à Fundação de Amparo ao Meio Ambiente derrubar a casa de um vereador erguida em área de preservação. Como a ordem judicial não foi cumprida, Cordioli fez o serviço ele mesmo, com a ajuda de um operário.

Descontente em ver condenados a penas alternativas não cumprirem suas sentenças, o juiz exigiu que todos fossem ao quartel da PM às 9h dos sábados. Recebia o pessoal de pá na mão e comandava operações tapa-buracos nas ruas de Otacílio Costa.

Cordioli é chamado de louco.

Vivemos em um país onde a loucura parece ser a coisa mais correta.

Resumindo... O Brasil não é um país incoerente, sem nexo, sem sentido, sem lógica, o Brasil é um país corrupto, a corrupção não esta apenas no senado, nas prefeituras, nas câmaras, na justiça, no ministério público, a corrupção esta no DNA do seu povo. Precisamos com urgência alterar nossa cultura, caso contrário o absurdo vai sempre parecer normal.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Henry Miller

Desejo um mundo de homens e mulheres, de árvores que não falem (porque já existe conversa demais no mundo!) de rios que levem a gente a lugares, não rios que sejam lendas, mas rios que ponham a gente em contato com outros homens e mulheres, com arquitetura, religião, plantas, animais - rios que tenham barcos e nos quais os homens se afoguem, mas não se afoguem no mito e lenda e nos livros e poeira do passado, mas no tempo e no espaço e na história. Desejo rios que façam oceanos como Shakespeare e Dante, rios que não se sequem no vazio do passado. Oceanos sim! Tenhamos novos oceanos que apaguem o passado, oceanos que criem novas formações geológicas, novas vistas topográficas e continentes estranhos, aterrizadores, oceanos que destruam e preservem ao mesmo tempo, oceanos nos quais possamos navegar, partir para novas descobertas, novos horizontes. Tenhamos mais oceanos, mais convulsões, mais guerras, mais holocaustos. Tenhamos um mundo de homens e mulheres com dínamos entre as pernas, um mundo de fúria natural, de paixão, ação, drama, sonhos, loucura, um mundo que produza êxtase e não peidos secos. Creio hoje mais do que nunca é preciso procurar um livro ainda que de uma só grande página: precisamos procurar fragmentos, lascas, unhas dos dedos dos pés, tudo quanto contenha minério, tudo quanto seja capaz de ressuscitar o corpo e a alma.


 

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Pedras não Falam Mas Quebram Vidraças

Os miseráveis

Vitor nasceu no jardim das margaridas
Erva-daninha nunca teve primavera
Cresceu sem pai sem mãe sem norte sem seta
Pés no chão, nunca teve bicicleta

Já Hugo não nasceu, estreou
Pele branquinha, nunca teve inverno
tinha pai, mãe, caderno e fada-madrinha

Vitor virou ladrão
Hugo salafrário
Um roubava por pão
O outro para reforçar o salário
Um usava capuz
O outro gravata
Um roubava na luz
O outro em noite de serenata
Um vivia de cativeiro
O outro de negócio
Um não tinha amigo, parceiro
O outro sócio

Retrato falado Vitor tinha cara na notícia
Enquanto Hugo fazia pose pra revista
O da pólvora apodrece impenitente
O da caneta enriquece impunemente
A um só resta virar crente
O outro é candidato a presidente

Sérgio Vaz